quinta-feira, 19 de dezembro de 2013

O Mar que Eu Aceitei

"Afogar-me nas palavras e dizer sim! Dizer sim para ele e dizer sim para mim. Tentar ser feliz porque alguém quis. Alguém quis que fosse assim."

       Eu posso ter ficado louca, ou eu posso apenas ter superado um medo desnecessário. Perdi o receio do Mar, perdi o receio de Amar. Eu sei que pode valer a pena se eu quiser que valha. Não adianta me esconder, preciso arriscar. Não só por mim.
       Talvez seja a onda que faltava para me balançar. Quem sabe desta vez eu não morra na praia. Só sei que pode dar certo se quisermos que dê. E agora, eu posso dizer nós ao invés de eu e ele. Posso mostrar que me sinto mais segura - não totalmente -, mesmo que tenha custado um pouco.
       Não, não vou me arrepender, porque na vida a gente tem que tentar. Se nunca tentarmos, o "não" sempre prevalecerá. E eu dispenso uma vida cheia de "nãos"! Eu posso até hesitar de alguma maneira, mas agora que bateu a coragem, eu precisava assimilar tudo isso.
       É, parece que tudo vai acalmar e que as ondas, desta vez, me levarão ao caminho certo, para aquela correnteza que faltava em minha vida. Parece que o arco-íris acaba no Mar e que as estrelas brilham depois que ele passa. Sim, isso sou eu concordando. Assumindo.

Eu aceito Mar, eu aceito.

quinta-feira, 12 de dezembro de 2013

Prisão Mental

       O medo não quer me deixar tentar e eu fico presa à incerteza. Desconfio da sombra e fujo do que pode até ser uma boa ideia. Não deveria pensar em como pode dar errado, ou nos motivos que podem levar a ter um fim antes do começo, mas é inevitável. Não quero ficar pensando nisso. Fico irritada comigo mesma por evitar chances.
       Sei que poderia ser a coisa certa, mas eu prefiro imaginar que é errado somente para me prevenir de mais mágoas. Já fui tão machucada que hoje tenho medo de entregar nem que seja apenas parte de meu coração. E mesmo quando tudo parece certo, eu encontro algo que seja errado só para que eu possa ter um motivo para fugir.
       Eu deveria ceder algumas vezes. Mas penso que seria um erro. Estou apavorada. Não consigo processar a informação de que alguém possa querer lutar por mim, já que ninguém nunca fez isso. Sempre desistem na primeira dificuldade. Então fechei meu coração - ou ao menos tentei fechar - para que não fosse ferida novamente.
       Posso estar me precipitando quando fujo e evito situações, mas sei que há riscos de erro. Não quero viver na incerteza. Já tive confusões e complicações demais para tão poucos anos e não quero que dure mais alguns. Eu fujo querendo ficar. O medo sempre ganha, ele sempre me convence de que ir embora é a melhor solução, mas eu cansei de partir.

terça-feira, 10 de dezembro de 2013

Só se Ele Disser que Fica

Se ele disser que fica
Eu fujo com medo do amor
Mas se quiser que eu permita
Talvez aceite a dor

Se precisar de mim
Eu sempre estarei aqui
Precisa até ser assim
Pra dizer que sorri

Se quiser me dar uma chance
Eu fico só pra tentar
E se isso for um romance
Eu até arrisco a amar

Mas se nada der certo
Eu volto à estaca zero
Mas sempre, assim, por perto
É assim que eu espero

Foi-se

       Havia uma garota que se sentia só. Ela precisava que alguém a acolhesse, mas não encontrava ninguém que pudesse ser para ela o que ela queria ser para alguém. Ela tentou de todas as maneiras ser algo para alguém, mas sempre a faziam partir. Ela se feria para não ferir as pessoas com as quais se importava, mas as mesmas não se importavam em machucá-la.
       Um dia ela partiu pela última vez. Morreu por dentro, sim! Já que ainda não se sentia corajosa o suficiente para morrer por fora. Mas ainda havia um sorriso em seus lábios. Ela ainda aparentava alegria. Ninguém era mesmo capaz de perceber o esforço que ela vinha fazendo para não se entregar aos demônios dentro de si.
       Ela achou que deveria se esconder e foi ficando cada vez mais difícil encontrá-la. Mas ninguém a procurava, então ela desistiu. Fechou-se em uma bolha imaginária e não demonstrou mais seus reais sentimentos. Resolveu que ninguém deveria saber o que se passava dentro de seu coração e sua mente. Fugiu de tudo e de todos e fingiu que seu mar estava calmo. Sorriu, brincou, aconselhou como se ela não precisasse de conselhos. Como se não precisasse de vida.
       Ela era egoísta há um tempo atrás e, ainda se julga assim. Tenta fazer o máximo que pode para não sentir culpa, mas sente. Ela faz o que acha que precisa, mesmo que custe sua felicidade. Que, vá, nunca foi tão grande assim. Nem tão importante. Então ela sucumbiu à culpa e faleceu o pouco de alma que lhe restava.

terça-feira, 3 de dezembro de 2013

Um Conto de Falhas que Ainda não Falhou

       De que adianta tentar apenas uma vez? Eu não sei se isso pode funcionar se deixarmos tudo sumir. Não sei nem como isso começou - aliás, começamos algo? -, mas talvez não seja a hora correta. Sei que sempre me adianto e acabo metendo os pés pelas mãos, mas isso só acontece porque sempre ajo apesar do medo. Ato de coragem? Talvez seja um ato de automutilação interior.
       Não sei o que acontece dentro de mim que ainda me faz seguir em frente e dar a cara a tapa. Eu realmente quero entender porquê depois de tantos tombos eu ainda me levanto sabendo que vou cair de novo. Talvez eu queira cair. Mas não de maneira ruim, apenas de uma maneira que me faça esquecer o resto do mundo. Talvez de uma maneira metafórica. Lúdica.
       Sei que não sente nada demais, mas ainda tenho a esperança de que alguém - talvez você - um dia ainda possa fazer dar certo. E eu não sou de cobrar, não sou de insistir e nem forçar. Acredito que quem quer ficar, fica. Eu fico, mas também sei ir embora quando necessário. Só não quero que seja necessário desta vez.
       Entendo que estou me adiantando novamente e que não sei onde isso vai dar. Talvez dê em uma história bonita, talvez dê em um conto de falhas, talvez não dê em nada. Mas tudo bem. Eu aceito a realidade que acontecer. Aceito as premissas e as consequências. Agora, acho até que aceito as emoções.

sexta-feira, 18 de outubro de 2013

O Tempo não tem Tempo

Se o tempo não tem tempo
Fuja do tempo que tem
Se é tempo de "não aguento"
Fica enquanto há alguém

Se da vida se duvida
Perde um tempo a mais com ela
Se na vida há ferida
Exploda como uma estrela

Não se culpe no futuro
Que não há razão de ser
Já que foge do escuro
Não fuja de você

Se há razão de partir
Fica que ainda dá pra tentar
Se só perde por sentir
Já não perde em amar

terça-feira, 10 de setembro de 2013

O Silêncio é Melhor

       Eu queria que desta vez pudesse ser diferente, mas acho que será assim para sempre. Não queria que ficássemos assim, mas não há mais nenhuma escolha a se fazer. Eu podia estar machucada, decepcionada, ou algo do tipo, mas infelizmente, me sinto ofendida.
       Talvez eu exagere em dizer que o dia perfeito foi por água à baixo, mas é incrível como quinze minutos podem estragar um dia. Uma frase que ecoa, dói mais do que tudo que foi dito desde o início disto.
       Desculpe-me se falei demais, mas é que não suportei. Não se engane achando que não o perdoei de verdade - eu perdoei. Acontece que, desta vez, é diferente, não da maneira como esperávamos que fosse, mas ainda assim, é diferente. Perdão não é esquecimento, nem tampouco aceitação.
       Eu poderia ter dito mais palavras, poderia ter explodido e te mandado para o inferno, mas escolhi sair de lá enquanto era tempo. Já não adiantaria falar mais nada. Por isso achei que fosse melhor me calar diante da situação. Não que eu não quisesse lhe dizer o que eu estava pensando e sentindo, mas é que neste caso o silêncio é melhor.

quinta-feira, 5 de setembro de 2013

Pra Tudo

       Queria escrever uma música, ou um poema. Queria ter rimas para me expressar, mas ainda não encontrei as palavras certas. Travei nas incontáveis rimas que você já me deu e não sei mais o que escrever. Então fico pensando, conversando comigo mesma e sorrindo. Só isso. Tudo isso.
       Eu não quero exagerar, mas eu preciso que saiba de um pensamento meu: "até que enfim!". Eu sei que parece bobo, mas é um pensamento especial e forte demais para ser ignorado. E eu não quero esconder nada. Eu quero que saiba o que penso pra tirar teu medo.
       Desculpe-me se eu inconscientemente forçar algo, mas sei que você vai me entender - você sempre me entende. Não quero lhe causar danos de nenhuma natureza. Nenhum arranhãozinho sequer. Nenhuma dorzinha no peito. Não quero lhe causar insônia pelos motivos errados. Quero tranquilizar a sua alma.
       Olha, se você quer mesmo saber, eu posso curar tudo isso. Posso fazer tudo que há de mal sumir, basta você permitir. E, outra coisa, você pode dizer que todas estas palavras são uma bobeira, mas eu sei que lá no fundo, você entende e concorda. Nós não precisamos um do outro, mas nos queremos o suficiente pra dar certo.

"Eu sei viver sem você. Sei andar, comer, falar, ver um filme. Sei sorrir e nem é de mentira. Solto gargalhadas e conto piadas e sou rodeado pelos meus amigos o tempo todo. Leio livro, malho, faço amizades. Sou por inteiro sem você. Não existe nenhuma parte faltando, mas eu faço ela faltar. É que eu não preciso de você pra nada, mas quero você pra tudo. Eis o grande problema." Iolanda Valentim.

terça-feira, 3 de setembro de 2013

Escolhe Ficar

Fica, fica
Escolhe ficar

Conta, conta
O que tem pra contar

Volta, volta
Teu lugar é aqui

Assume, assume
Que não quer mais fugir

terça-feira, 20 de agosto de 2013

Você Pode Ir Embora (Ou Escolher Ficar)

Seu medo é bobo
Parece insano
E eu me odeio
Pelo quanto te amo

Se eu fosse embora
Você voltaria
Conheço essa história
Sem calmaria

Você teme a dor
Que causa amar
Mas não vai saber
Se você não tentar

Um passo a ser dado
É a primeira opção
Eu não machucaria
O seu coração

(Mas não forço ninguém
A me amar
Você pode ir embora
Ou escolher ficar)

quinta-feira, 8 de agosto de 2013

Tic-Toc

Tic-toc
O tempo se esgotando
Sua vida passando

Tic-toc
A sua vontade sumindo
Estão te coagindo

Tic-toc
Não sabe o que fazer
Esqueceu de como querer

Tic-toc
Cuidado com sua vontade
Use a sinceridade

sábado, 6 de julho de 2013

Compasso de um Quase Coração

Que coração pesado
Eu fui arrumar.
Um peso leve
Sem compassar.

Quando acelera,
Eu sinto a dor.
Quando fica lento,
Vem o ardor.

O pulmão fraco
Suplica por ar
Ao meu coração,
Já sem compassar.

Sem oxigênio,
Eu morro, então.
Tenho outra chance
No meu coração.

Tudo que Cura a Alma

Escrever
Cura a alma
Do cansaço de ceder

Sentir
Cura a alma
Quando ela se ferir

Sonhar
Cura a alma
Por nunca realizar

Ser
Cura a alma
Do que quebra você

Fugir
Cura a alma
Por não sentir

Ficar
Cura a alma
Só por curar

segunda-feira, 1 de julho de 2013

Garota Perdida

Aquela garota perdida
Precisa de um escudo.
Embora ela finja bem
Que não precisa do mundo.

Aquela garota perdida
Precisa se recuperar.
Embora ela diga a todos
Que não precisa tentar.

Aquela garota perdida
Precisa de um sentimento.
Embora ela diga sempre
Que com ele, perde o alento.

Aquela garota perdida
Tenta se esconder.
Embora alguém sempre saiba
Para onde ela irá correr.

No Fundo a Fraqueza não é Dela

Ao fundo ela ouvia
Uma bela canção.
Que ele lhe mostrara um dia
E marcou no seu coração.

Ao fundo ela cantava,
Enquanto ele partia.
Ela, ainda quebrada.
Nada mais se ouvia.

Ao fundo era tudo pequeno,
Quando ela se punha a sonhar.
Na superfície, tudo pleno.
Ela insistia em amar.

Ao fundo se viam os cortes
Daquele seu coração.
Ela se mantinha forte.
Pena que o amado, não.

Ela só Queria Poder Ficar

Perdendo um sonho,
Ela retornou.
Fugindo do mundo,
Ela sonhou.

Querendo acordar
Ela dormiu.
Querendo ficar
Ela partiu.

Estava amando,
Sentindo dor.
Falta de ideia,
Falta de amor.

Querendo ficar
Ela partiu.
Fez que ia chorar,
Mas então sorriu.

Salvem a Moça

Salvem a moça
Que ela vai pular.
Salvem, salvem!
É grande o patamar.

Salvem a moça
Que ela fala sério.
Salvem, salvem!
Desvendem o mistério.

Salvem a moça
Que se sente perdida.
Salvem, salvem!
Ou dará fim à vida.

Salvem a moça
Que já se jogou.
Salvem, salvem!
O que dela sobrou.

Cor-de-Rosa

Era um sonho lindo,
Aquele que ela tinha
Quando era bem pequenininha.

Ela estava rindo,
Mas teve um pesadelo.
Para o seu desespero.

Era tudo cor-de-rosa.
Ela flutuava em sua mente,
Quando se escondia daquela gente.

Ela surgiu vistosa.
Quando encontrou a sanidade.
Aí, ela viu tudo de verdade.

Pena que Ela Acordou

Ela acordou vazia.
Não queria,
Mas sentia...
Fugia.

Ela acordou com medo.
Sofrendo,
Em segredo...
Percebo.

Ela acordou irritada.
Meio quebrada,
Desconsolada...
Assustada.

Ela acordou na defensiva.
Perdida,
Sem vida...
Iludida.

sábado, 29 de junho de 2013

O Problema é que Ela Nasceu Perdida

Ela nasceu perdida.
Vagando...
Buscando vida.

Um dia se viu quebrada.
Esperando...
Atormentada.

Não acredita em ninguém.
Se joga...
A salvem!

Ela precisa de alguém.
Não explora...
O desdém.

Um dia ela foge.
Se perde...
Se esconde.

No outro ela volta.
Segurem...
Se solta.

quinta-feira, 27 de junho de 2013

Uma Garota que se Perdeu

(encontrou)


       Havia uma garota que estava perdida. Ela tinha alguns sonhos, mas todos pareciam estar tão longe que ela desacreditou da própria vida. Ela fugia dos problemas para não ter que debater com as pessoas que a desencorajavam ainda mais a seguir em frente. Ela se escondia de uma maneira irreal. Tentava fazer as pessoas a sua volta felizes e fingia não estar quebrada por dentro.
       Ela escrevia textos encorajando as pessoas que ela amava. Compunha músicas que de tão doloridas, se tornavam lindas. Fazia poesias que encantavam quem lesse. Criava sonetos e poemas que ninguém entendia muito bem, mas ela sabia o motivo de tudo aquilo. Ela sabia o porquê de "amor" sempre rimar com "dor" e ela expunha essa rima sem medo.
       Era tão nova quando resolveu fugir de vez. Pobre menina que resolveu se esconder nas milhares de letras já escritas por ela. Um dia tentou falar ao invés de escrever e desfaleceu-se. Morreu sim! Por dentro. Perdeu-se naqueles pensamentos obscuros que tinha desde muito pequena. Foi-se embora consigo mesma em uma viagem tão ilusória quanto o seu sorriso de felicidade.
       A garota resolveu, então, repensar sua vida. Lembrou-se da maior dor que pudera sentir. Lembrou-se de que lhe arrancaram um pedaço quando lhe esconderam a única pessoa que ela amou sem saber nem sequer sua aparência. Ela mudou. Resolveu que ninguém pode deixá-la infeliz como antes. Decidiu que não é justo sofrer pelos erros que os outros cometeram. Ela decidiu ser livre.
       Havia uma garota que se olhava no espelho e não entendia a sua missão na Terra. Ela acreditava em Anjos e decidiu que podia ser o Anjo de alguém. Resolveu que podia acrescentar algo ao mundo - mesmo que para uma pequena parte dele. Ela decidiu superar o passado e sair em busca do futuro. Resolveu que fazer as pessoas felizes era um modo de ser feliz. Então, resolveu reviver.


Demi Lovato - Two Pieces

domingo, 23 de junho de 2013

Segunda Chance

       Eu nunca quis ter que pedir uma segunda chance. Eu nunca quis ter que implorar por algo. Eu nunca quis ter medo. Eu nunca quis correr riscos, mas estou correndo. Correndo contra o tempo. Pedindo para que ele passe lento e respectivamente me pergunto se eu não deveria apressá-lo. Eu nunca quis ter pensamentos como estes, mas eu não controlo a minha mente.
       Aquelas dores me deixavam fraca, mas eu não podia parar para descobrir os motivos, eu precisava seguir em frente. Eu sabia que estava no meu limite, mas eu precisava continuar, pois tudo aquilo dependia de mim. Eu não podia parar. E quando tudo piorou, eu continuei de pé somente porque eu não tinha outra escolha.
       Quando você começa a juntar as peças de um quebra-cabeças de terror, sua primeira reação é não ter reação. Aí vem a sede de informações. Depois, vem o riso frouxo que te traz uma esperança, você pensa que está enlouquecendo e então compara as suas informações com pesquisas. Aí vem as lágrimas, para te mostrar que pode ser pior do que parece. Depois vem o especialista que se assusta ao te ouvir e resolve te pedir coisas que você nem tinha pensado.
       Depois de tudo, vem o medo, a incerteza, a expectativa ruim, o silêncio... E mais lágrimas. Então você começa a ter pesadelos e sintomas psicossomáticos. Os seus pensamentos mudam e suas vontades também. Além disso, você quer desabafar e ser claro com alguém, mas tem medo de ser taxado de exagerado e dramático. Então você se cala - até quando deveria dizer algo. Até não poder dizer mais nada.

sábado, 22 de junho de 2013

Fênix

       Eu já havia me esquecido de como era falar com você. Eu não lembrava mais de como podia mexer com o meu psicológico ter palavras suas. Eu pensava tão pouco em você que já estava me considerando curada de toda a loucura que foi te amar. Mas eu estava certa. Não sei explicar, mas falar contigo de novo me trouxe um sentimento tão forte que só não explodi porque Deus não quis.
       Eu já havia me acostumado com a sua ausência em minha vida. Já que nesses últimos meses eu sequer tive notícias suas. Eu parei de contar, mas retomando as lembranças, acho que já fazia uns vinte meses que não nos falávamos direito e talvez fizesse uns quinze que não trocávamos sequer uma palavra. Eu entendo o porquê.
       É irônico que quando você começa a ter certeza de que uma pessoa não vai nunca mais aparecer em sua vida - e, que, talvez nunca mais fale com você -, ela ressurge das cinzas. Você nunca quis voltar. Eu sempre soube o porquê de termos nos afastado, eu sabia que você nunca mais voltaria. Eu errei nisso. (Mas eu adoraria saber: por que só agora?).

"Meia dúzia de frases desconexas que me trouxeram todas as milhões de frases de volta."

segunda-feira, 17 de junho de 2013

O Seu Olhar

       O seu olhar é evasivo, constante, relutante, ilusório. Quando você me encara eu me perco - não deveria, mas me perco -, eu tenho vontade de sair correndo e ao mesmo tempo tenho vontade de ficar ali, trocando olhares com você. (Olhares inadequados).
       O seu olhar me constrange, mas eu não posso fingir que não está lá. É um olhar tão intenso que nem consigo dizer se é real. Parece-me um jogo de adivinhação, porque não sei o que quer dizer - não sei se quer dizer algo. (Deveria me dizer algo?)
       Eu costumo observar as pessoas a minha volta e normalmente eu sei dizer algo sobre elas depois de certo tempo. Mas com você é diferente. Eu não sei o que dizer sobre você, só sei falar sobre o seu olhar (pensar), talvez sobre o seu sorriso (imaginar) e a sua impertinência (vivê-la).
       Você me observa e eu não me sinto bem, mas ao mesmo tempo, isso me atinge como uma granada em meio a uma guerra e sinto como se seus olhos me mostrassem esperança. (Esperança de quê, eu não sei). Não gosto de ser observada, me sinto frágil e vulnerável. Mas você não tira os olhos de mim. (E que olhos lindos você tem). Não gosto de ser a miragem, gosto de mirar. Mas você é diferente. Seus olhos são diferentes.

domingo, 16 de junho de 2013

In Case, Nothing!

       Eu cansei de ser a garota que canta "in case" e pergunta: "can you be my Nightingale?". Cansei de lhe dedicar "don't forget" querendo cantar "catch me" e implorar com "I hate you, don't leave me". Cansei de dizer: "you make me glow" quando nós agimos como "without the love". Já não quero mais que "unbroken" me lembre de você. E quero que "really don't care" se torne um hino.
       Eu digo "I love you like a love song" tentando explicar que você é "my dilemma". E quando eu penso que "a day without you is like a year without rain" eu desejo que você seja apenas "crush". Quando ouço "I promise you" eu caio novamente e só me levanto com "stop and erase", mas nós somos "round and round". Eu penso como "perfectly" e você é "naturally". Mesmo eu dizendo: "come and get it", você fez com que eu escolhesse outra canção, só porque eu estou "sick of you".
       Mas dentre todas as canções que me lembram de você, eu queria que "say goodbye" não fosse real, eu queria que você não fosse "better than drugs" e queria não estar "dead inside". Obviamente nada disso importa mais. E só me resta duas perguntas: "the older I get, will I get over it?". E você, vai?

"In case you don't find what you looking for..." Continue procurando, porque eu me cansei de te ajudar a se encontrar.

Onde Eu Possa Me Perder

A dor que eu sinto
É física e mental.
Eu até finjo, minto,
Mas ela é surreal.

Eu tento me enganar,
Só engano quem não sente.
Então, eu puxo o ar.
E me digo: "Vá, enfrente!".

Eu procuro esconder,
Porque ninguém se importa.
Eu me cansei de ser
Esta estranha alma torta.

Eu fujo desta dor,
Já que não posso resolver.
Escondo-me onde for.
Onde eu possa me perder.

sábado, 8 de junho de 2013

Construção de Lembranças

       Algumas pessoas precisam de uma luz, alguém que lhes diga uma palavra que se encaixe. Acho que um psicólogo, às vezes, não consegue dizer o que uma pessoa precisa ouvir. Há pessoas que escondem seus sonhos e sentimentos esperando que de alguma forma alguém decifre seus pensamentos ilusórios e irreverentes.
       Eu poderia escrever uma música sobre pessoas que se escondem com medo da luz. Eu poderia escrever um poema que te fizesse chorar ou sorrir outra vez, mas eu não tenho rimas agora. Se você quer uma luz, seja a sua luz! Não fuja da vida, não se esconda atrás da poetiza e não se prenda às frases do Tumblr. Use as suas palavras, encontre o seu caminho, seja você.
       Você quer uma palavra que te ajude a entender, uma palavra que te conforte. Eu até tento, mas quero que você saiba que você tem que se confortar. Seja o seu conforto. Seja o seu abrigo e deite-se à noite imaginando que você é o seu próprio castelo construído pelas pedras que haviam em seu caminho. Seu castelo é uma construção de lembranças. Cada pedra é uma memória que, sendo boa ou ruim, permanecerá em sua vida para sempre. E se sobrar algumas pedras, construa os seus sonhos.

domingo, 2 de junho de 2013

Ficarei Desta vez Porque não Consigo Decidir

       Acho que eu não consigo desistir. Acho que meu coração pararia de funcionar se você saísse de vez da minha vida. Eu sei que estou sendo dramática - você costumava reclamar disso, mesmo quando você fazia mais drama que eu -, mas e quando o "drama" é a única maneira de expressar um sentimento? O maior sentimento que já tive.
       Caramba! Eu quero que isso acabe, mas parece impossível. Eu sinto meu coração pesado cada vez que eu penso que não há mais chances. Eu sei que não há mais chances, mas o coração insiste em dizer que há milhões delas espalhadas por aí.
       Eu tento fugir, tento ocupar a cabeça e o coração, mas nada funciona. Eu fico dias sem falar com você, mas só de olhar a sua foto - ah, aquele sorriso que é o mais lindo do mundo para mim - eu hesito, eu caio, eu sinto, explodo por dentro de vontade de te dar um beijo, um abraço, dizer que te amo e tentar te convencer que somos feitos um para o outro. Mas não dá pra fazer isso. Nada disso. Não posso. Não devo.
       Acho que já não tenho mais tantas palavras para escrever sobre você. Gastei todas elas em textos, músicas, poemas, poesias, frases e parágrafos que você não vai ler. Então eu pego palavras emprestadas. Palavras de poetas, escritores, cantores e cantoras. Pego aquelas palavras e afirmo que são minhas, porque realmente são! Eu tomo posse delas porque não consigo mais me expressar somente com as minhas próprias palavras.

video
I Hate You, Don't Leave Me - Demi Lovato


       Eu te odeio, não me deixe. Sinto como se eu não pudesse respirar. Abrace-me, não me toque. E eu quero que você me ame, mas preciso que você confie em mim. Fique comigo, me liberte.
       Mas não posso voltar atrás, não, não posso negar que ficarei desta vez porque não consigo decidir. Confusa e com medo, estou com medo de você.
       Admito que estou com e ao mesmo tempo fora de controle. Não escute nenhuma palavra do que eu disse! Apenas me escute, antes de fugir. Porque não consigo acabar com essa dor.
       Eu te odeio, não me deixe! Eu te odeio, não me deixe, porque adoro quando você me beija. Estou em pedaços, você me completa.
       Estou viciada com a loucura. Sou a filha desta tristeza. Estive aqui antes tantas vezes. Estive abandonada e agora estou com medo. Não posso lidar com outra queda. Sou frágil, deixada na praia. Eles me esquecem, não me vêem. Quando me amam, me deixam. Não, não consigo acabar com essa dor. Eu te odeio, não me deixe! Eu te odeio... por favor, me ame.

domingo, 19 de maio de 2013

Quase Confio em Você

Abandonei um mal presságio
Para uma nova chance entrar.
E já até cheguei no estágio
Em que começo a gostar.

Eu andava muito triste,
Até você aparecer.
Incrível saber que existe
Alguém tão fofo quanto você.

Você não é nenhum Anjo.
Talvez seja caído, pode ser.
E eu estou me arriscando,
Quase confiando em você.

Não pense que me conquistou.
Isso ainda não aconteceu.
Mas é que você me encantou.
E minha lágrima desapareceu.

sábado, 18 de maio de 2013

A Minha Decisão Final

       Por um longo tempo eu tentei deixá-lo ir, mas eu nunca tive coragem o suficiente para deixar isso acontecer. Acho que chegou o momento. E desta vez, é o momento certo. Antes eu não estava preparada para deixá-lo partir de verdade, eu não estava preparada para ser sua amiga. Hoje, me sinto bem em dizer que você pode contar comigo somente como amiga.
       Eu te amei mais que tudo e por te amar tanto é que eu lhe devo isso. Você nunca me pertenceu, você nunca foi meu. Nós tentamos e falhamos e já chega de falhas. Está na hora de seguir em frente - não que eu não tenha seguido, eu segui -, precisamos esquecer de tudo o que passamos até aqui.
       O dia de hoje era para ser diferente, mas já chega de lembranças. Eu me cansei de amar sozinha. Eu me cansei de confiar em você naquela discussão em que me disse que você nunca havia mentido para mim. No fundo, eu sempre soube que você havia mentido. Você disse que me amava e essa foi a única vez que você mentiu para mim.
       Eu não quero que pense que tenho mágoas. Não me sinto mal como antes. Não tenho raiva, não estou chateada - talvez mexida. Ainda sinto afeto por ti, mas isso não significa que eu vá insistir em algo que já sei o fim. Já sei que começamos pelo fim. Às vezes, ainda sinto sua falta, mas isso não significa que eu o queira de volta. Não significa que ainda temos chances. Apenas significa que te amei.
       Daqui em diante, prometo que só restarão boas lembranças. Prometo, também, que não o chamarei mais, não prolongarei suas provocações e colocarei os pontos finais que restam nesta nossa história. E mesmo com tudo isso, se caso necessitar, você pode desabafar comigo, você pode pedir conselhos, pode pedir ajuda, pode conversar comigo. Só lhe peço que não me provoque mais.
       Até agora, não houve ninguém como você em minha vida. Você foi, e continuará sendo único, mas deixá-lo ir e lavar a minha alma com tranquilidade é a minha decisão final.

domingo, 5 de maio de 2013

Passa Depressa?

O que vem rápido,
Passa depressa?
Eu não sei bem
E já não me interessa.

Se vier em minha vida
E conseguir me marcar,
Apesar de uma ferida,
Eu sou capaz de amar.

O meu medo é sofrer
Novamente um amor.
É que eu me cansei
De sentir essa dor.

Mas tudo bem,
Não vou me apressar.
Se estiver nos planos,
Assim será!

segunda-feira, 22 de abril de 2013

A Perfeição da Imperfeição

       Ele é perfeito para ela. Ela é perfeita para ele. Eles se encaixam como peças feitas sob medida. Entendem-se sem precisar que um olhe nos olhos do outro. Não precisam sequer estar no mesmo ambiente para que um saiba o que o outro está sentindo.
       Mas eles não são do tipo que se completam, pois são iguais demais para isso. Eles são do tipo que se transbordam. São completos por si só, mesmo que não saibam disso. O fato de se sentirem incompletos quando estão separados, ocorre porque eles imaginam necessitar um do outro.
       E a verdade é que eles realmente precisam um do outro, mas não da maneira como pensam. Eles precisam que um apoie o outro. Ele tem que aprender a confiar mais em si mesmo. Ela tem que aprender que tem valor. E é aí que um precisa do outro. Ela confia nele e ele sabe mostrar o valor que ela tem.
       Os dois são imperfeitos. Teimosos, orgulhosos, solitários, eles têm dificuldade em se expressar, são infantis e despreparados para muitas coisas na vida. Mas são suas imperfeições que os tornam tão perfeitos um para o outro. Eles só não sabem disso ainda, mas estão quase lá!

quarta-feira, 3 de abril de 2013

O Amor é Simples; Quem Complica Somos Nós

       Será que o mundo tem que ser tão contraditório assim? Quer dizer, você gosta de uma pessoa, mas ela não gosta de você. Aí uma pessoa gosta de você, mas você não gosta dela. E quando vocês dois se gostam a vida dá um jeito de separar. Que difícil!
       O ser humano é complicado demais. Complica tudo. O que era pra ser simples, vira um quebra-cabeças quando o ser humano se mete no meio. Imaginem vocês que o ser humano consegue dar tantas voltas no que vem em linha reta, que ele se perde no caminho.
       A maior complicação do ser humano chama-se: amor! É a pior e a melhor parte do ser. Quando não encontramos o amor, reclamamos da falta que ele faz e quando o encontramos, desdenhamos dele. Vai entender o ser humano. Parece até uma obsessão: quer amor, acha que não o tem. Quando o tem, prefere rejeitar (vai que não é a pessoa certa!).
       Na minha opinião, o ser humano é medroso! Covarde! Sabe por que? Porque tem medo de arriscar. O risco pode trazer algo ruim, mas também pode lhe dar o que mais se sonha. Eu arrisquei algumas vezes (na maioria quebrei a cara), não me arrependo de nada. Como eu saberia o resultado antes de tentar? (há quem nem queira um resultado).



       "Presa bem firme, como se eu nunca mais fosse sentir de novo. Fui presa num tipo de prisão do amor e joguei fora a chave. Apavorada, até que eu te encarei nos olhos e isso me fez começar a perceber as possibilidades, então... Eu vou te amar como se nunca tivesse sido ferida, vou dizer como se nunca tivesse sido dito. Essa noite eu vou deixar, deixar... Eu vou ceder como nunca cedi, vou cair como se não precisasse ser salva. Essa noite eu vou deixar. Tão enganada! As mesmas mentiras com caras diferentes, mas tem algo nas palavras que você diz que faz tudo parecer tão real. Não preciso fugir, você me faz acreditar em tudo. Não preciso esconder, vou te dar cada pedacinho de mim." - Inquebrável.

domingo, 17 de março de 2013

O seu Medo tem que Sumir

         Eu ensaiei muitas palavras em meu pensamento. Dei voltas em mim mesma, procurando um dia, um motivo, qualquer coisa para poder te ligar e ouvir a sua voz. Qualquer coisa que me fizesse parar na rua da tua casa e me fizesse te mandar um sms, só pra dizer onde eu estava. Eu queria que o destino me deixasse cara a cara com você, para ver se a coragem surgiria ao olhar nos teus olhos. Eu queria te ver e poder te dar um abraço e te contar as novidades. Queria dizer algumas frustrações que estão me cercando. Queria desabafar com você, coisas que só você entenderia e saberia me aconselhar. Queria te dizer as palavras que estão engasgadas em minha garganta. E queria te contar porque eu não falo muito com você. Na verdade, queria te falar tudo o que escrevo. Sim, eu queria ter a coragem de dizer o que eu coloco no papel ou aqui no blog. E queria saber qual seria a sua reação. Queria estar presente para ver a sua reação. Acho que seria interessante, mas não me arrisco.

       Eu me descuidei. Quando eu te vi pela última vez, eu devia ter dito tudo o que estava me incomodando. Eu devia ter te contado porque me afasto tanto e devia ter dito o que sinto, mais uma vez. Eu devia ter tentado mais. Mas eu não tentei porque você não queria tentar. De que adiantaria se apenas eu tentasse? Então resolvi me calar. Resolvi permanecer parada em meu mundo. Cada vez que nós conversamos a atmosfera muda - pelo menos para mim. Eu não sei explicar, o que sei é que tenho uma ligação com você que não se define. Eu não sei entender isso e não sei se você se sente assim com relação à mim. Fico pensando que eu realmente deveria ter falado mais. Eu queria ter te convencido, mas você não se deixou convencer. Eu queria que você tivesse tentado mais.

       Não posso dizer com certeza - ou talvez eu possa -, mas acho que você tem medo de si mesmo. Acho que isso é tudo medo do apego, do amor, de sofrer, de viver. Não sei bem explicar, mas eu também sinto medo de tudo isso. A diferença entre nós é que eu consegui passar por cima disso. E eu quero muito que você também consiga, porque se você tiver medo de tudo e deixar que isso te consuma, não vai conseguir aproveitar nada. E eu preciso que você aproveite tudo o que há de bom. Porque preciso que você esteja feliz. Só quando te vejo feliz consigo sorrir verdadeiramente.

quinta-feira, 7 de março de 2013

Eu Odeio Amar Você

       Eu odeio quando ele retorna à minha vida e eu enfraqueço novamente. Odeio me lembrar de tudo o que aconteceu, odeio o fato de ele estar tão longe de mim, mas perto o suficiente. Odeio ter que disfarçar toda a angústia e tristeza que sinto ao olhar a foto dele. Odeio que ele me procure. Odeio que ele comente e/ou curta o que compartilho. Odeio o fato de ele ter me ligado quando estava na cidade. Odeio a desculpa idiota que ele me deu quando me ligou. Odeio lembrar da voz dele, mesmo depois de tantos meses. Odeio me lembrar de como eu me sentia segura quando ele me abraçava e odeio o fato de ele ter se desculpado por todas as idiotices que fez, por todas as dores que causou.
       Mas o que mais odeio nisso tudo, é que, apesar disso, ainda o amo como se nada houvesse acontecido. O amo com toda a força de minha alma. Odeio-me por ter a CORAGEM de escrever - ou apenas de pensar - que o amo tanto.


I can't believe it still hurts like this


       Eu olhei para o céu e pedi à Deus que se não era pra ser, que então Ele lhe tirasse de meu coração. Mas eu não entendo os planos Dele. Ele resolveu que você tem que permanecer em meu coração e assim vem sendo. Eu não sabia mais o que escrever, então puxei na memória algo que significasse o suficiente. Lembrei-me da música The Older I Get da banda Skillet, lembrei que essa é uma das músicas que nos define, lembrei que você me fez conhecê-la e lembrei que havia meses que eu não conseguia ouvi-la sem chorar. Eu a ouvi hoje e não chorei. Então, pensei: "é isso".


       As paredes entre você e eu sempre nos separando, nada deixado além de cicatrizes luta após luta. O espaço entre nossa calma e fúria começou a crescer menos, desaparecendo lentamente dia após dia.
       Eu estava sentado aí esperando no meu quarto por você. Você estava esperando por mim também e isto me faz pensar: quanto mais velho fico, irei superar isso? Tem sido um caminho tão longo pelo tempo que perdemos. Eu não sabia que depois me machucaria assim, mas eu penso quanto mais velho fico, talvez eu supere isso. Tem sido um caminho tão longo pelo tempo que perdemos. Eu não acredito que isto ainda machuca tanto.
       O tempo entre estas palavras cortadas constrói nossas defesas que nunca fizeram sentido, isto apenas me machuca. Você acredita que o tempo cura toda ferida? Isto começou a melhorar mas é fácil não lutar quando eu não estou com você.
       O que eu estava esperando? Eu deveria ter pego menos e dado mais a você, eu deveria ter enfrentado a tempestade. Eu preciso dizer tanto. O que você estava esperando? Isto poderia ter sido o melhor que nós sempre tivemos.
       Eu estou apenas envelhecendo, eu não estou superando você, eu estou tentando. Eu queria que isto não machucasse como está. Tem sido um caminho tão longo pelo tempo que perdemos. Eu não acredito que isto ainda machuca tanto.


sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

Segure-me

Eu não sei o que você está pensando
E nem posso te forçar à pensar
Não sei o que está se perguntando
E nem sei como posso te amar

Não sei de onde você veio
E juro que quero descobrir
Às vezes, parece devaneio
Mas é só você me fazendo sorrir

Não sei porque você me escolheu
Mas sei que você sabe
Então, antes de achar que tudo se perdeu
Segure-me, antes que o tempo acabe

Não sei porque te quero bem
A questão é que te quero
É algo que vai tão além
Que sem você, me desespero

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

O Certo Sem Orgulho Ferido

       Eu sei que fiz a coisa certa. Sei que agi com o cérebro e sei que isso me fará bem mais tarde. Acima de tudo, sei os meus motivos para isso. Sei que não fui egoísta, sei que se não tomasse essa decisão, meu coração pesaria.
       Eu fiz por eles. Fiz porque era a coisa certa a fazer e o orgulho deles não queria deixá-los assumir o que estava acontecendo. Fiz, também, por paz de espírito. Para estar bem comigo mesma. Eu tentei ser altruísta , além de tudo.
       Não recebi apoio. Não de quem eu queria. Não daquelas pessoas pelas quais decidi adiar minha vida. De um lado ela me dizia que eu fui uma tonta, que eu não devia ter tomado essa atitude. Do outro ele nem me agradeceu por poupá-lo ao menos um ano. (Felizmente tenho amigos!)
       O problema em fazer algo pensando nas pessoas erradas é que você se arrepende depois. Mas, ainda assim, por um motivo que nem você entende - talvez seja caráter, personalidade, senso de justiça... Talvez -, você sabe que fez a coisa certa e que não deve desistir. Seguir em frente é que vai ser dose. É isso o que eles querem que você pense. Mas tudo bem, porque no fim das contas quem vai arcar com as consequências de suas atitudes é você. E se seu coração e seu cérebro dizem a mesma coisa... Então você realmente fez a coisa certa. Parabéns!

segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013

Exaustão

Se eu disser que estou exausta,
Você me deixa partir?
Se eu disser o que me falta,
Você deixará de sorrir?

Eu só preciso de um tempo.
Uma coisa que é só minha.
Nem sei como aguento
O que já chamo de vidinha.

Você finge que é certo,
Enquanto pode se enganar.
E quanto mais chegar perto,
Você vai se apavorar.

Quando me propus à isso
Eu sabia consequência,
Mas agora o desafio
Já virou impertinencia.

sábado, 16 de fevereiro de 2013

Alma Calma

Aquela minha fantasia,
Você realizou.
Enquanto eu sentia,
Você sussurrou.

Aquele momento difícil
Foi mais fácil com você.
É que foi tão frágil.
Sei que não vou esquecer.

Eu não me arrependerei,
Chegou perto da perfeição.
Isso não te falei,
Mas vou guardar no coração.

Eu soube que era o certo
Quando você me abraçou.
No meio da turbulência,
Você me acalmou.

domingo, 10 de fevereiro de 2013

É Tão Sutil

Você pede atenção
E eu abro o coração.
Você diz estar carente
Então, abro a mente.

Eu finjo não te amar,
Pois é mais fácil assim.
Eu minto, não vou falar
Tudo o que significa pra mim.

Você acha que eu não ligo
E eu digo para não repetir.
Você me xinga, eu te xingo
E então, começamos a rir.

Enquanto tudo parece esquisito
E nós começamos um mito,
Eu falo que amo você...
Tão sutil, para não perceber.

sábado, 9 de fevereiro de 2013

Tudo Normal

É assim mesmo, tudo normal.
Até que te deixa mal.
Aí, você ouve uma palavra.
Ela quebra teu sonho e te trava.

Então você finge não sentir.
E acha que isso vai impedir
De uma dor que vai chegar.
Inevitável. O coração deixa entrar!

E aí, sem dor, sem vida, sem nada
Você percebe a grande cilada
A qual você se colocou.
E o tonto do coração? Deixou!

No final disso tudo, você chora,
Você grita e o idiota ignora.
Mas você vai se levantar,
Mesmo que isso possa demorar.

       Não te preocupes criança machucada, não será nem a primeira e nem a última vez. Isso é para você aprender que o amor mais dói do que tudo. Mais irrita e machuca do que ama. Mas ama! E quando ama não abandona, não fere, não irrita. Quando ama, ele absorve tudo o que há de ruim... Não fique assim! Vai passar... Passar... Passar... Passou?... Passou!?... Passou!

domingo, 3 de fevereiro de 2013

Quiçá

Enquanto eu podia sentir o vento
Você roubava o meu alento
E quando tudo pareceu embaçado
Ficamos confusos, parados

Eu podia sentir qualquer coisa
Desde que você estivesse comigo
Acho que fiquei paranóica
Por você ser meu amigo

E não foi a primeira vez
A última, quiçá, não venha
Só não quero te perder
Então, por favor, me detenha

É fácil uma aproximação
Quando conhece o coração
Talvez seja melhor recuar
Para não ter que te amar

sábado, 2 de fevereiro de 2013

I Know... We're Inseparable

       Hoje eu não sei nem o que escrever. Não sei se devo escrever. Parei e pensei em como falar sobre algo que nem tenho certeza. Pensei em como escrever sobre um sentimento que eu sequer sei explicar. Não consigo nem identificar. Não sei nem se é bom, ou ruim - acho que é bom.
       Eu quero falar sobre você, mas não sei o que falar. Quero dizer que tive um sentimento muito forte dentro de mim. Do tipo de sentimento que de tão bom, dói. Do tipo que aperta o peito e dá nós no estômago. Do tipo que te deixa sem fôlego.
VOCÊ ACERTOU: FIQUEI SEM AR!
       Não sei explicar muito bem o porquê, mas o "sempre" com você, me parece bom. Não dói quando você diz "para sempre" como me doía em outra voz. E sua voz, me parece mais agradável, mais doce, mais gentil... Parece-me a calmaria. Talvez até o fim de nossas turbulências.
       Eu nunca quis ter esse tipo de sentimento por você, mas tudo bem. Não dói, não faz sofrer, não machuca... Conforta, confunde. Mas não dói.
       Provavelmente, mais tarde, eu vá me arrepender de ter escrito este texto. Mas não porque não sinto, ou por vergonha... Por medo. Aliás, já estou me arrependendo. Tudo bem. É o que sinto por agora. Não sei o que vai mudar. Enquanto isso, permito-me sentir.



P.S.: Não sei se quero que você leia e se identifique, mas se ler, se se identificar... Eu acho que te amo mais do que pensei e mais do que eu disse amar.

quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

Aqueles Olhos que Ainda não Saem do meu Coração

       Hoje senti saudades dos seus olhos. Aqueles olhos castanhos com um leve toque esverdeado. Ouvi aquela música que me fazia chorar a um ano atrás quando, ao escutá-la, me lembrava você. Aquela que diz; "adeus olhos castanhos, adeus meu amor". 
       Hoje eu imaginei como seria se nos falássemos de novo depois de tanto tempo. Imaginei como seria se nos olhássemos de novo. E não sei sequer dizer o que eu sentiria. A única coisa que sei, é que eu sentiria algo muito forte. 
       Faz quase quinze meses que mal nos falamos e acho que faz pelo menos um ano que não trocamos sequer uma palavra. Eu não costumo dizer, mas isso ainda dói. Doía quando você passava por mim e desviava o olhar. Doía quando você me olhava demais e eu me sentia desconfortável. Doía quando eu te olhava sem parar e você nem percebia. E doía quando você percebia e desviava o olhar, ou então olhava de volta.
       Eu não sei porque quis escrever sobre você outra vez, não sei porque pensei em você novamente. Não sinto sua falta - eu acho -, não estou magoada com você - tenho certeza. Sempre entendi os motivos pelo qual não daria certo, mas ainda sinto um aperto no coração quando penso em você. Em você e nesses olhos que jamais sairão da minha mente - nem tampouco de meu coração.



"Goodbye, brown eyes. Goodbye, my love"...

sábado, 12 de janeiro de 2013

Ursinho de Pelúcia

       Ele é carente. Ele precisa de alguém que o abrace e diga que tudo ficará bem, precisa de alguém que o faça deitar e ter bons sonhos, de alguém que o faça dormir gargalhando e acordar sorrindo.
       Ele é misterioso. Ele precisa de alguém que o decifre, precisa que alguém afague seus cabelos e de alguém que esteja disposto a ajudá-lo e tentar compreendê-lo vinte e quatro horas por dia.
       Ele é sincero. Ele precisa de alguém que dê segurança, ele precisa de alguém que prepare os seus pratos favoritos pelo menos duas vezes por semana, somente por querer ver seu sorriso brilhante.
       Ele é um príncipe. Ele precisa de alguém que sempre o faça feliz, de alguém que, no fim do dia, sente ao seu lado e peça para que ele conte o que sentiu desde quando acordou, precisa de alguém que compreenda seu silêncio e sua eloquência.
       Ele é amoroso. Ele precisa de alguém que saiba de suas necessidades, de seus sonhos e seus medos, alguém que possa retribuir tudo o que recebe.
       Ele é diferente. Ele age como se isso fosse ruim, mas não percebe que é sua melhor qualidade e é o que o torna incrível, ele precisa entender-se, para que o possam entender.
       Ele se sente incompreendido. E isso é simplesmente porque tudo o que ele precisa é de um amor sincero e de si mesmo.

Você é como um ursinho
Que sente falta de carinho
Mas não consegue perceber
Tudo o que pode ser

Pode confundir o que sente
E reclama de ser carente
Não sabe como é incrível
Mas ainda se sente invisível

♥MeuUrsinhoTed.

quarta-feira, 2 de janeiro de 2013

NÃO ODIAR E PRONTO!

       Às vezes, enquanto observo ao meu redor, fico tentando entender porque algumas pessoas odeiam alguém, mesmo sem saber nada sobre este alguém. Isso não pode ser normal. Como é possível odiar alguém sem sequer saber o motivo? Odiar e pronto! Como alguém carrega tanto sentimento ruim por alguém que nem lhe diz respeito, alguém que, por muitas vezes, sequer sabe que aquela pessoa a odeia?
       Sei que o ano só começou, mas creio que o mundo está acabando. E não é por acreditar em nenhuma bobagem de previsão, não é por nenhuma superstição. O mundo está acabando porque o ser humano o está degradando com tantos sentimentos ruins. O mundo está acabando porque as pessoas pararam de se importar umas com as outras, porque odiar é mais fácil do que conhecer, é mais fácil julgar um esteriótipo do que uma personalidade.
       Eu, sinceramente, tenho vontade de chorar quando presencio um ódio assim, sem qualquer nexo. Mas eu não sinto raiva das pessoas que odeiam as outras. Eu sinto pena. Essas pessoas precisam de ajuda psicológica e não de mais ofensas. Se essa pessoa odeia alguém sem um motivo plausível, é porque alguma coisa tem de errado. Eu não quero que pareça que estou julgando e sendo hipócrita, mas há coisas que só presenciando para entender - ou pelo menos tentar entender.
       Eu queria poder ajudar essas pessoas. Queria que elas percebessem o mal que fazem para os outros, mas acima de tudo, para si mesmas. O ódio, o rancor, a raiva, a fúria e todos os sentimentos similares, apenas causam o mal para quem sente. Ficar remoendo sentimentos ruins te deixa ruim. Pode até te deixar doente. O ódio não é sadio a ninguém. Aliás, não existe sentimento ruim e saudável. Se fosse saudável, não seria denominado ruim.